Always on quer dizer uma comunicação continuada, que está sempre rolando, sempre no ar.

Para muitas empresas, com verbas mais apertadas ou nas quais a publicidade é muito focada em vendas, isso pode parecer distante da realidade. Porém, existem bons motivos (até mesmo financeiramente falando) para manter sempre uma campanha de marketing em OOH sendo veiculada e marcar presença na publicidade de rua ao longo de todo o ano. 

Neste artigo de hoje, a gente explica três boas razões para a sua marca trabalhar anúncios publicitários em esquema de always on. Vem ver!

OOH para se manter na cabeça do consumidor

Você conhece o conceito de share of mind? Esse termo em inglês significa o percentual da memória do consumidor que é destinado à sua marca. Ele não se refere especificamente a um único comprador e sim à penetração da imagem daquela marca dentro de um público. É uma informação coletiva, ao invés de individual.

Porém, para facilitar a compreensão do conceito, tente responder à seguinte pergunta: quando você pensa em sabão em pó, o que vem à sua mente? A primeira marca que você citar na sua resposta é a que tem o maior share of mind com você!

Mas o que tem isso a ver com uma comunicação continuada? Simples: estar sempre com os seus anúncios publicitários nas mídias e reforçando a sua mensagem para o consumidor costuma é uma das formas de garantir que você se mantenha na disputa pelo share of mind do seu público. E não se engane, a sua concorrência também está anunciando no OOH, justamente por esse motivo!

Como já falamos por aqui no post sobre por que investir em OOH, essa mídia de rua é o terceiro formato que mais recebe verba publicitária no Brasil, com um total de 10,7% de todo o investimento feito no país em anúncios publicitários. São cerca de 1,3 bilhão de reais investidos anualmente para capturar a atenção da audiência.

E quando a gente fala que a sua concorrência também está anunciando em OOH é porque apenas em 2018 o mercado brasileiro de anúncios publicitários de rua contou com mais de 6 mil anunciantes. Juntos, eles fizeram publicidade de mais de 7600 marcas diferentes.

Ou seja, nesse cenário, não manter uma comunicação constante com o seu público-alvo pode significar cair no esquecimento.

OOH para criar relacionamento com o público

Outra maneira de se manter sempre na mente do seu consumidor é se tornando uma marca com a qual ele tenha uma conexão emocional. É uma tarefa difícil, que exige uma construção e uma manutenção de um relacionamento, o que faz todo sentido dentro de uma comunicação continuada.

Essa conexão emocional pode ser obtida de diversas formas: o cliente pode sentir que você se importa com as suas necessidades de verdade, ele pode sentir que os produtos ou serviços que você vende realmente se conectam com o estilo de vida dele, ele pode entender que os seus valores pessoais têm a ver com os da sua marca, entre outras formas.

Para isso, você precisa ter espaço na sua comunicação momentos que não sejam destinados a lançar produtos novos, vender o estoque atual e anunciar uma promoção. É preciso ir além e falar da marca, falar de valores, falar dos motivos para você fazer o que faz. Ou seja, é preciso investir em branding, do OOH a qualquer outra forma de comunicação que você escolha . 

Essas conexões são tão profundas que fazem com que o seu consumidor escolha a sua marca mesmo quando ela não tem o melhor produto ou o preço mais em conta. Isso é, você ganha a fidelidade dele por ter desenvolvido uma relação de mão dupla. Nada mal, não é?

OOH para continuar expandindo a sua marca para novos consumidores

A figura "do consumidor" é algo difícil de definir. Existem pessoas que não entram tanto nas redes sociais porque o dia é corrido, gente que só abre o e-mail pra deletar mensagens, gente que vive correndo, gente que leva a vida com calma, gente que só compra por indicação de amigos e gente que é influenciado por qualquer publicidade que passar.

Às vezes, especialmente para marcas que estão surgindo agora no mercado, que estão com a verba curta para fazer pesquisas qualitativas, que estão querendo se reposicionar ou lançando um produto para um público diferente do que costuma trabalhar, encontrar a buyer persona (uma representação de quem é o seu cliente) ideal pode ser um processo longo, com muitos acertos e



Legal! Enviaremos novos conteúdos para o seu e-mail.
Opa! Não foi possível enviar seus dados. Tente novamente, por favor.