Se você acha que anunciar em OOH é uma prática antiga, que está fora de moda ou não faz sentido para o seu negócio, chegou ao post certo!

Pegue um café e acompanhe com a gente uma variedade de dados, do comportamento do consumidor ao investimento dos seus concorrentes, que confirmam que o OOH não só está em ascensão, como é aprovado pelo seu público.

Porque é lá que a concorrência está

Não tem jeito: para disputar o share of mind, ou seja, o espaço na memória do consumidor, as marcas precisam estar presentes nos espaços de anúncios publicitários. E isso inclui o OOH, é claro. 

Essa forma de veiculação de mídia ocupa o terceiro lugar entre os formatos que mais recebem verbas publicitárias no Brasil. São mais de 10,7% de todos os investimentos em anúncios publicitários feitos no país, um número que fica ao redor de 1,3 bilhão (sim, com b) de reais anuais.

Basicamente, em terras tupiniquins, o OOH só fica atrás, em termos de investimento, dos canais de televisão aberta e da internet. Mas (spoiler!) já existe o digital OOH, que sequer permite separar essas duas categorias.

Agora, se você acha que a existência desses altos valores significam que a mídia externa está concentrando muita renda, porém de alguns poucos players, podemos dizer com tranquilidade que os dados não indicam isso.

O OOH vem crescendo ao longo dos últimos anos e, apenas em 2018, mais de 6 mil anunciantes veicularam seus anúncios nas ruas para mais de 7600 marcas diferentes.

Porque a audiência presta a atenção

Uma das coisas mais difíceis para quem está começando a investir em OOH é acreditar que, de fato, o público vai absorver o conteúdo das mensagens passadas nos seus criativos. Em outras palavras: o anunciante quer garantias de que os anúncios publicitários não vão se tornar parte da paisagem da cidade e, portanto, passarem despercebidos.

Se esse é o seu caso, trazemos boas notícias! O OOH encostou na televisão (líder em penetração): segundo o estudo Mídia Dados Brasil sobre o ano de 2019, enquanto a TV chega para 88% da população brasileira num total de 30 dias, os formatos de rua chegou a nada menos que 87% dos brasileiros.

Esse não só é um número surpreendente, como ele também está crescendo. Essa penetração aumentou mais de 6% ao longo dos 5 últimos anos, confirmando a tendência de crescimento dessa mídia. Os 87% da mídia OOH brasileira representam um número acima do comportamento dos públicos francês, espanhol, britânico e até mesmo americano!


Ok, mas não basta chegar para a audiência e não ser absorvido, certo?

Corretíssimo! Pois, então, pode ficar tranquilo ao montar as suas estratégias de marketing contando com a veiculação nas ruas: de acordo com um levantamento da Kantar, a população brasileira gosta de ver publicidade em OOH. Durante a elaboração da pesquisa, 39% dos participantes no país responderam que se interessam por ver anúncios publicitários nesse meio, um total de 6 pontos percentuais acima da média global.

Consumo de OOH e tendências de comportamento

Internacionalmente, os sinais sobre consumo de mídia OOH nas ruas também traz pontos positivos e insights! O relatório Out of Home Advertising Study 2019, feito pela Nielsen nos EUA, revelou que 33% dos entrevistados procuraram informações sobre produtos ou serviços, seja no celular ou no computador, depois de ver uma campanha de OOH.

Parece bom? Então olha essas informações: outros 23% dos participantes visitaram o site de uma marca depois de ver os anúncios e 15% deles buscaram as páginas da marca anunciante nas redes sociais. Mais do que isso, 40% de todos os entrevistados contaram que usam seus smartphones para pesquisar sobre um assunto visto em anúncios publicitários de OOH.

Isso nos mostra 3 informações diferentes, todas úteis para os anunciantes:

1. A mensagem do OOH funciona

2. Crie estratégias de marketing omnichannel, que abrace seus outros canais de comunicação

3. Aposte na dobradinha OOH + smartphone para chamar ainda mais a atenção da sua audiência

Porque ele chega até onde a audiência está

O combo mobilidade urbana + invasão digital revolucionou o OOH (opa, outro spoiler!): com a chegada dos aplicativos de aluguel de bicicletas e patinetes, as pessoas estão ocupando ainda mais os espaços públicos, que antes dependiam apenas das caminhadas e exercícios ao ar livre para ficar mais movimentados.

Além disso, as pessoas circulam pela cidade em meios de transporte diferentes e horários diferentes, o que é um prato cheio para quem quer trabalhar com comportamento de consumo de anúncios publicitários em OOH.

O estudo Inside OOH, feito pela Kantar IBOPE Media em 2019, apontou que 99,5% dos seus participantes usaram no mínimo um meio de transporte num período de 7 dias. E não para por aí! Ao longo dos mesmos 7 dias, foram gastas ao redor de 10h18 em deslocamentos. Ou seja, sobra tempo para o público ver os seus anúncios publicitários.

E se você está pronto para mais um insight, aqui vai: os horários de maior locomoção para os brasileiros acontecem de 7h a 7h59, e depois das 18h às 18h59. Portanto, se você quer pensar numa campanha que envolva mídia programática, pense em criativos que se conectem com esses momentos de deslocamento.

Porque o OOH de agora é digital e mensurável

Pronto, depois de dois spoilers ao longo do texto chegamos na parte mais empolgante para a Mobees: as possibilidades da mídia programática e a revolução do digital OOH!

A gente já falou aqui sobre os altos investimentos que são feitos anualmente em mídias de rua, pelos mais diversos anunciantes. Mas você sabia que os próprios meios digitais (como o Spotify, por exemplo) e plataformas típicas do universo online (como o Uber) aumentaram também em 24% os seus investimentos em OOH?

Isso está acontecendo porque o digital invadiu o essas mídias e acabou com tudo o que os anunciantes conheciam antes como uma mídia OOH: aqueles anúncios publicitários caros, com processos antiquados e estimativas pouco palpáveis de alcance de público.

O digital OOH da Mobees consegue colocar uma campanha no ar em 24h, através de um processo super ágil, que acontece numa plataforma 100% online. Nessa mesma plataforma, que é super intuitiva, você já recebe uma estimativa de público de acordo com as suas estratégias de marketing e orçamento - o alcance é mensurável!

É por lá também que você acompanha em tempo real a performance dos seus anúncios publicitários, recebendo informações que servem como base para a tomada de decisão sobre mudar ou não as características da sua veiculação ao longo da campanha. Se está dando certo, você sabe. Se não está, você muda. É fácil!

Além disso, as nossas telas inteligentes são móveis, têm recursos de geolocalização e trabalham com mídia programática. Ou seja, com o nosso OOH, você pode pensar em estratégias de marketing que liguem os momentos de compra do seu produto a eventos na cidade, às condições do trânsito, à localização onde a tela está e até ao clima para estimular as vendas.

Não faltam dados para confirmar que reservar parte da sua verba para posicionar anúncios publicitários no OOH é uma ótima ideia. E se você está pronto para anunciar com assertividade nos resultados, levando o digital para as ruas, vem saber mais sobre as telas inteligentes da Mobees!